Empresário Marcos Santos será sepultado nesta terça-feira

O corpo do empresário Marcos Santos será sepultado às 11 horas, desta terça-feira, em Emaús.

Marcos teve um infarto fulminante no início da tarde. Os amigos lamentaram a perda repentina. “Marcos estava super alegre ontem à noite na casa do amigo Francisco Nunes”, disse Getúlio Cabeleireiro.

“Vai fazer muita falta” , registrou o amigo e ex-deputado Henrique Alves.

Marcos Santos é cunhado do ex-senador Garibaldi Filho.

Policiais civis param amanhã

Os Policiais Civis do Rio Grande do Norte e servidores da Segurança se reuniram em Assembleia Geral, na última terça-feira (18), e deliberaram por uma paralisação nesta terça-feira, dia 25 de junho, com concentração na sede do SINPOL-RN, a partir das 8h. O motivo será a reforma da Previdência.

Assim como policiais federais, rodoviários federais e guardas municipais, os policiais civis lutam para que as peculiaridades da profissão sejam levadas em conta dentro do projeto da reforma da Previdência. Com a proposta atual, essas categorias terão perdas de direitos e retrocessos, como fim da aposentadoria especial.

A paralisação deste 25 será feita em conjunto com policiais civis de todo o país, sendo promovida pela Cobrapol e pela União dos Policiais do Brasil (UPB). Em cada estado da federação, haverá essa mobilização. No último dia 14, a categoria já tinha cruzado os braços no Rio Grande do Norte em protesto contra a reforma da Previdência.

Governo do RN presta contas ao Banco Mundial

O principal programa de investimentos do governo do RN pode ser ampliado. Pelo menos se depender da prestação de contas feita pela equipe econômica do Governo aos representantes do Banco Mundial. O encontro foi mais uma etapa do processo de adesão do Estado ao Plano de Equilíbrio Fiscal (PEF), encaminhado pelo Governo Federal na primeira semana de junho  ao Congresso Nacional. Esse plano prevê empréstimos aos Estados com nota C na capacidade de pagamento e com garantia da União.

Nessa reunião com o Banco Mundial, o Governo fez uma explanação de como encontrou o Estado e quais medidas já foram adotadas na busca do equilíbrio fiscal e do aperfeiçoamento da gestão, a exemplo da revisão de contratos e de benefícios, projeções e auditorias. Uma demonstração detalhada desse primeiro semestre de gestão. A reunião busca esclarecimentos e propostas para dar transparência ao processo, como um dos passos para a negociação com a instituição financeira que será a financiadora do PEF ao Rio Grande do Norte.

“As reuniões de hoje fazem parte do processo de adesão do Estado ao Programa de Equilíbrio Fiscal do Governo Federal. Estamos atuando em quatro frentes: uma das frentes é responder à Secretaria do Tesouro Nacional uma série de formulários, que  mostram qual é a nossa realidade fiscal, a aprovação da legislação no Congresso Nacional é uma outra frente de  trabalho, bem como a aprovação de legislação específica também em âmbito local e por fim com as instituições financeiras que irão participar desse processo”, explica Aldemir Freire. 

O Governo do Estado encaminhou à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte duas legislações que o secretário de Planejamento considera fundamentais para a adesão ao PEF. “A PEC do crescimento sustentável das despesas e a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020, elas são pontos de partida para o equilíbrio fiscal e financeiro do Estado nos próximos anos e para a adesão do RN ao Programa de Equilíbrio Fiscal, que no período de quatro anos pode render ao Estado R$ 1,3 bilhão”, ressaltou Freire. 

Maioria dos títulos cancelados é de homens

Levantamento da área de estatística do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que, do total de 2.486.495 títulos de eleitor que foram cancelados em todo o país por ausência aos três últimos pleitos, a maioria é de adultos jovens do sexo masculino, solteiros e com baixa escolaridade.

Ao todo, foram cancelados 1.367.509 títulos pertencentes a eleitores homens contra 1.118.213 de mulheres. Apenas 773 documentos cancelados referem-se a eleitores que não informaram seu gênero.

No que se refere ao grau de escolaridade, o cancelamento atingiu 915.375 documentos de eleitores, homens e mulheres, que informaram ter ensino fundamental incompleto, seguido daqueles com ensino médio incompleto, que representam 536.634 eleitores.

Já quanto ao estado civil, o maior número de títulos cancelados foi de solteiros: 1.912.115. Por sua vez, a faixa etária relativa à maior quantidade de cancelamentos foi a de 25 a 29 anos, com 425.211 documentos envolvidos.

O quadro por unidade da Federação mostra que o estado de São Paulo lidera o número de cancelamentos, com 674.500 títulos cancelados, seguido do Rio de Janeiro, com 299.121, e de Minas Gerais, com 226.761.

Em todo o Brasil, foram cancelados mais de 2,4 milhões de documentos de eleitores que estavam há mais de três eleições (regulares ou suplementares) consecutivas sem votar ou justificar a ausências às urnas.

Repercute mal a nomeação do filho do deputado Girão para cargo na vice-presidência

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. A máxima se encaixa muito bem na nomeação de Paulo Eduardo Pontes Monteiro, no gabinete da Vice-Presidência da República. Ele é filho do deputado federal General Girão, que se apresentou como o novo e condenado as velhas práticas políticas.

O deputado foi um dos que mais condenaram a prática durante campanha de 2018. Assim que chegou a Brasília esqueceu o discurso e conseguiu emprego para o filho. A atitude agravou a crise no partido do deputado. O PSL, que já começou a perder quadros que colaboraram com a eleição do Girão.

Ex-governador Fernando Freire deixa a prisão

Blog Ponto de Vista

O ex-governador Fernando Freire, acaba de ser solto por determinação do juiz Henrique Baltazar Vilar Santos, deixando assim o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do RN onde esteve por quase quatro anos. Ele passará a cumprir o resto da pena em regime semi-aberto. Com exclusividade a nossa reportagem conversou com o ex-governador, obtendo dele a declaração abaixo:

“Há muito a ser dito, muito a ser declarado, mas a prudência impõe a manutenção do silêncio. Minha família, meus poucos amigos e eu, somos os maiores interessados em prestar uma ampla declaração, o que será feito num momento oportuno.

Experiência dura, sofrida, que gerou um elevado grau de amadurecimento, por hora cabe apenas o registro de que, não obstante a aplicação das normas rígidas próprias do sistema prisional, fui tratado pelo conjunto da Polícia Militar do RN, no Quartel do Comando Geral da corporação, com absoluta dignidade e respeito. A eles o meu agradecimento.

Pretendo me juntar àqueles que estão na luta por um sistema prisional mais humanizado, para que esse tratamento que me foi dispensado, repito, dentro de rígidas normas, mas com dignidade, possa ser estendido a todo nosso sistema prisional.

Por fim, agradeço àqueles que foram solidários e presentes comigo nesse período de tanto sofrimento. Bem como aos advogados que, expressando sentimento de humanidade e desprendimento, estiveram sempre juntos nessa luta. Em especial, aos advogados Flaviano Gama, Tito Canto, Milena Gama e Guilherme Negreiros”.

Leiloado o revólver que teria sido usado no suicídio de Van Gogh

O revólver, com o qual Vincent van Gogh teria se suicidado, conhecido como “a arma mais famosa da história da arte”, foi arrematado em leilão nesta quarta-feira (19) por 162,5 mil euros (o equivalente a R$ 703 mil), segundo a agência France Presse.

A arma Lefaucheux, de calibre de 7 mm, estava avaliada entre 40.000 e 60.000 euros e foi leiloada pela casa AuctionArt-Rémy Le Fur no Hôtel Drouot, em Paris.

Van Gogh teria atirado no peito, aos 37 anos, e morreu dois dias depois ao norte de Paris.

Em 27 de julho de 1890, o mestre holandês teria caminhado até um campo próximo da hospedaria onde estava instalado em Auvers-sur-Oise. Ele teria, então, levantado a camisa e atirado no peito com uma arma do proprietário do estabelecimento.

O revólver teria caído das mãos de Van Gogh, que, ferido, teria voltado para a pensão, onde faleceu dois dias depois.

O revólver, cuja autenticidade é provável que nunca seja formalmente confirmada, foi descoberto em 1965 por um agricultor nesse mesmo campo. Depois de sua descoberta, o camponês entregou a arma – muito danificada – a Arthur Ravoux, proprietário dessa hospedaria. Desde então, o objeto teria permanecido na família, conta a casa de leilões AuctionArt.

A arma foi apresentada publicamente pela primeira vez em 2012 com a aparição do livro “Aurait-on retrouvé l’arme du suicide?” (“Teria-se encontrado a arma do suicídio?”), o qual narra a história do revólver.

Arma foi leiloada por 163 mil euros

Jornalista Ângela Bezerra conta as memórias da família Bezerra no Seridó

Ângela Bezerra resgata as tradições da família

Histórias do sertão potiguar

A talentosa jornalista e grande amiga Ângela Bezerra, lança no próximo sábado (22), o livro “Entre a Serra Azul e o Sertão”. A obra, escrita a partir de fatos reais e memórias da família Bezerra, no Seridó, tem como protagonistas os pais da autora, Luiz e Angelita. É uma narrativa interessante que prende o leitor com os acontecimentos curiosos, costumes e legados do sertão.

Um dos episódios interessantes do livro é o fato de o bizavô  de Ângela, Francisco Bezerra de Medeiros – fazendeiro rico do sertão de Currais Novos-, ter deserdado o filho, Joaquim, por se casar com Júlia, uma moça ‘de cor’ aos olhos do patriarca. No dia do casamento, o tilintar do sino da Matriz de Santana foi fúnebre, a mando do pai.

A intenção inicial, com o livro – que é ilustrado por fotos antigas – era fazer o registro afetivo da trajetória de Luiz e Angelita, como forma de manter essa memória viva para a família. No entanto, a obra vai além desses dois personagens. “Fala também sobre um tempo e um lugar, a cultura de um povo, o sertanejo, que conhece bem o real valor de uma boa chuva, da colheita farta, das dificuldades de se sobreviver na caatinga. O livro ainda narra costumes, como era a vida em meados do século XX na região do Seridó”.

O lançamento acontece no condomínio de chalés da família no município de Lagoa Nova, a partir das 19h. A obra também será lançada durante a Festa de Santana em Currais Novos, no dia 16 de julho, durante a tradicional feirinha. Ainda não há data prevista para o lançamento em Natal.

Depois de acenar com a gratuidade nas bagagens presidente recua e diz:” Se quiser levar mais de 10kg…pague”

Lobby foi mais forte

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (18) que empresas aéreas alegaram que a gratuidade nas bagagens em voos seria um “empecilho” para o setor e que para ele não há “problema nenhum” em pagar para voar com bagagens acima de 10 quilos.

Bolsonaro deu as declarações ao comentar o veto que fez, na segunda-feira (17), a um trecho de uma medida provisória (MP) que determinava a gratuidade para bagagem de até 23 quilos em aviões com capacidade acima de 31 lugares, nos voos domésticos.

“Com todo o respeito, quer fazer uma viagem e vai usar mais, vai levar mais de 10 quilos, acho que… Se quer levar mais de 10 quilos, pague, pô, sem problema nenhum”, afirmou o presidente.

Com o veto deste trecho da MP, as aéreas poderão voltar a cobrar pelas bagagens despachadas, ficando os passageiros isentos apenas de bagagens de mão até 10 quilos.

No entanto, o Congresso Nacional poderá derrubar o veto presidencial quando vier a analisá-lo. Ainda não há previsão de quando essa medida provisória será apreciada pelos congressistas em sessão conjunta da Câmara e do Senado.

Na manhã desta terça, Bolsonaro foi questionado por jornalistas sobre o motivo do veto. O presidente explicou que as empresas apontaram que a cobrança seria um “empecilho” e que empresas de baixo custo (low cost) desejam o veto à gratuidade.

Fonte: Globo

O poder da secretária Virgínia Ferreira

O desfecho das negociações do governo com os PMs, na tarde da segunda-feira, em Natal, revelou uma “super-secretária”. Virgínia Ferreira, secretária de Administração do governo do RN. Ela se comprometeu a deixar o cargo caso a reestruturação dos salários do PMs não for implantada em setembro de 2019.

Virgínia Ferreira tem ligações de amizade com a governadora Fátima Bezerra a ponto da chefe do executivo convidá-la para a equipe depois de Virgínia coordenar o plano de governo do adversário, o ex-prefeito Carlos Eduardo.

Virgínia está coordenando a pasta da Administração desde o inicio do governo.

Crea-RN mobilizado contra revogação da lei que estabelece salário dos profissionais

A presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias, reuniu os representantes das entidades de classe, diretoria e câmaras especializdas com o intuito de discutir providências em relação ao projeto apresentado pelo deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL/RS) que sugere a revogação da Lei 4.950-A/1966, que estabelece o salário-mínimo dos profissionais do Sistema Confea, Crea e Mútua.

“Fomos surpreendidos com a apresentação do Projeto de Lei nº 3.451/2019 que tem como objetivo revogar uma lei que está em vigor desde 1966 e que beneficia profissionais de diversas áreas”, ressaltou a presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias.

Na opinião de Carlos Roberto Noronha e Souza, membro da diretoria do Senge, a proposta de revogação da Lei de 1966 do salário-mínimo profissional “coloca o Brasil cada vez mais distante da geração de empregos, da distribuição de renda e do crescimento econômico.

A entrada do CREA vem reforçar a luta dos Sindicatos e Associações, mostrando que essa luta é em defesa da própria sociedade. Afinal, engenharia e desenvolvimento devem viver eterna lua de mel”.

A ideia, discutida durante a reunião, foi a de elaborar uma carta para explicar os prejuízos que essa possível revogação irá provocar na vida de milhares de trabalhadores das áreas de engenharia, agronomia e geociências.

O assessor jurídico do Crea-RN, Murilo Mariz, explicou que o documento que será elaborado e apresentado pelo Conselho, com apoio das entidades de classe, vai “desconfigurar a ilegalidade que o parlamentar aponta constar na Lei 4.950-A/1966”.

Outra iniciativa, sugerida pelos representantes das entidades de classe, é que todos os parlamentares da bancada federal potiguar sejam visitados. “Vamos buscar o apoio de todos para tentar barrar essa revogação”, disse Francisco Auricélio de Oliveira Costa, representante da Associação Norte-Rio-Grandense dos Engenheiros Agrônomos (Anea).

OAB media acordo entre Governo do Estado e corporações militares

A Ordem dos Advogados do Brasil — Seccional Rio Grande do Norte — fez o papel de mediadora em reunião promovida nesta segunda-feira (17), na sede da Governadoria. A vice-presidente Rossana Fonseca representou a OAB/RN na audiência, que estabeleceu as bases do acordo entre o Governo do Estado e representantes da Polícia Militar (PM-RN) e do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBM-RN) para evitar a paralisação das duas categorias. O vice-governador Antenor Roberto representou a gestão estadual.

Durante o encontro, os membros das duas corporações militares aceitaram a proposta formulada pelo Poder Executivo e decidiram encerrar o movimento de paralisação deflagrado no início do dia. O Governo se comprometeu com as associações de praças e oficiais que apresentará até setembro o projeto de lei que reestrutura as carreiras e reduz as distorções salariais entre os militares estaduais e a Polícia Civil.

Além de atuar como mediadora na formatação do acordo entre Governo e militares, a OAB/RN vai participar do grupo de trabalho a ser formado pela administração estadual para a elaboração do projeto de lei, assim como a Associação dos Advogados do RN, que também esteve representada na reunião da Governadoria pela sua presidente, Kátia Nunes. “A OAB deu sua contribuição ao diálogo estabelecido entre o Governo, a PM e o Corpo dos Bombeiros. Felizmente, o bom debate produziu um acordo benéfico para todos, principalmente para a sociedade, que não será prejudicada com a paralisação de serviços essenciais na área da Segurança Pública”, avalia a vice-presidente Rossana Fonseca.

O secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Civil, Francisco Araújo, também ressaltou a união de esforços para a celebração do acordo. “A proposta foi construída com todas as mãos. Apresentamos a proposta possível, que inclui o envio do projeto de reestruturação em setembro e os aumentos sejam efetivados a partir de março de 2020”, explicou ele.

O Governo ainda garantiu aos policiais e bombeiros que os recursos extras, a serem recebidos até o fim do ano, serão destinados ao pagamento dos salários dos agentes de segurança pública que estão em atraso. A medida segue a política da gestão estadual de pagar os salários integrais dos agentes de segurança pública – ativos, inativos e pensionistas – dentro do mês trabalhado e na primeira data determinada pela área econômica.

A reunião contou ainda com a presença dos comandantes da PM-RN, coronel Alarico Azevedo, e do CBM-RN, coronel Monteiro Júnior, além do secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, e a secretária Virgínia Ferreira (Administração). Os deputados estaduais Kelps Lima e Coronel Azevedo também participaram do encontro.