Assembleia presta homenagem aos Advogados

Os advogados do Rio Grande do Norte foram homenageados hoje, na Assembleia Legislativa. A homenagem faz parte da comemoração pelo Dia do Advogado, celebrado no dia 11 de agosto. A data é um registro da criação dos dois primeiros cursos de Direito no Brasil. Um foi inaugurado em Olinda, no Mosteiro de São Bento, e outro em São Paulo. De acordo com o presidente da OAB, Sérgio Freire, o Rio Grande do Norte possui aproximadamente 13 mil advogados. Além de Miguel Josino, outros nomes que fizeram e fazem história no estado também foram homenageados na ocasião.

O presidente da Casa, Ricardo Motta (PROS), destacou a coragem requerida aos profissionais da advocacia. “Na minha humilde opinião, ser advogado é ser guardião da liberdade, defensor da Justiça, é ser fiel à preservação humana. Ser advogado é navegar nos mares da legítima intransigência, a intransigência pela verdade intocável. É combater o pecado e compreender o pecador. É ser combatente armado de idealismo”.

Para o propositor da sessão solene, deputado estadual Hermano Morais (PMDB), a profissão é importante para a construção de uma sociedade justa. “Ser advogado, seja como procurador público ou privado, é ter um compromisso com a sociedade de servir, semear, cultivar e cultuar os grandes valores das relações humanas e patrimoniais. Ser advogado é ousar, ter coragem, perseverança em adentrar as realidades e meandros dos direitos humanos e sociais, levando aos indivíduos o horizonte e a perspectiva de que os legítimos pleitos podem se tornar realidade”.

HOMENAGEADOS

As comendas foram entregues aos homenageados e a parentes dos homenageados, no caso daqueles que não puderam comparecer ou in memoriam. “A Casa do Povo irmana-se na lembrança saudosa de grandes profissionais que partiram deixando para as futuras gerações, o legado do saber e da obstinada opção pela Justiça acima da tirania. Pelo Direito igualitário como forma prática de sociedade justa”, disse Ricardo Motta.

O procurador Miguel Josino foi lembrado com carinho pelo presidente da Casa. “Queria muito que aqui estivesse, para receber em mãos, a distinção que lhe é honrada em memória, o meu amigo, meu irmão de afeto e amizade, uma perda que Natal ainda não assimilou: Miguel Josino Neto. Dói, dói muito lá dentro da alma, saber que Miguel Josino se foi e não voltará mais com o seu sorriso sempre aberto, a solidariedade incansável, a inteligência suprema, o carinho dedicado aos seus amigos e a todos os que, um dia, dele necessitaram do conhecimento e do apoio moral”.

Compartilhe