Notícia

Divulgada a programação do FLIPIPA 2015

flipipa

A literatura está de volta a praia, com seus debates instigantes e grandes escritores. A 6ª edição do Festival Literário da Pipa-FLIPIPA acontecerá de 6 a 8 de agosto em novo endereço, no espaço de eventos Pipa Open Air, na rua Baía dos Golfinhos. No caldo fervilhante de assuntos levantados este ano, vão estar em alta o representante maior do modernismo Mário de Andrade, o ex-prefeito Djalma Maranhão, o poeta Wally Salomão, e mais música, contracultura, antropologia, contos, crônicas, literatura e sertão, memórias e poesia, cultura popular, literatura e dramaturgia e as lendas e cantares de Tibau do Sul.

O Flipipa 2015 contará com a tradicional Tenda dos Autores, mais espaços educativos e lúdicos com atividades a partir das 8h da manhã até 23h, oferecendo biblioteca móvel do Sesc, estande de editoras e sebos locais, livraria da Cooperativa da UFRN, espaço de contação de histórias, apresentações musicais, dança e teatro, e restaurante. A realização do Projeto Nação Potiguar e Fundação Hélio Galvão e conta com os parceiros/patrocinadores Ecocil, Sistema Fecomércio/Sesc, Fiern/Sesi, Prefeitura de Tibau do Sul, Grupo Gentil, Rede Intertv Cabugi, Sebrae RN, Hotel Ponta do Madeiro, Pipa Open Air, Assembleia Legislativa do RN, Associação de hotéis e pousadas da Pipa e Ateliê Flávio Freitas, Tribuna do Norte. A curadoria é Dácio Galvão e a produção executiva é de Candinha Bezerra.

O primeiro debate na Tenda dos Autores será “Das Falanges de Máscaras a Real Grandeza”, que vai relembrar algumas das mais profícuas parcerias da literatura brasileira. O compositor, violonista, cantor e poeta Jards Macalé e o poeta, compositor e ensaísta Antônio Cícero falarão sobre suas relações com o poeta Wally Salomão.

Mário de Andrade e sua relação com o Rio Grande do Norte, a partir do icônico personagem Macunaíma e o cantador potiguar Chico Antônio, serão abordados na mesa que contará com a participação do escritor e filósofo Eduardo Jardim, autor da primeira biografia do intelectual paulistano, “Eu Sou Trezentos – Vida e obra de Mário de Andrade”, ao lado do jornalista Vicente Serejo, A palestra “Macunaíma encontra Chico Antônio na Biografia de Mário de Andrade” encerra a primeira noite do Flipipa, dia 6 de agosto.

No ano em que se celebra o centenário do político, jornalista, educador e ex-prefeito de Natal Djalma Maranhão, novas nuances de sua trajetória serão revelados pelo olhar de Ticiano Duarte, Woden Madruga e Willignton Germano, na primeira mesa da sexta-feira 7. “Campos e espaços do conto e da crônica” será o tema abordado pela escritora mineira Marina Colasanti. Encerrando a segunda noite estarão o antropólogo, poeta e historiador Antônio Risério (BA) e a antropóloga Wani Pereira (RN), debatendo o tema  “Cidade, Antropologia & poesia”.

No sábado, a literatura com raízes no sertão segue viagem com dois grandes ficcionistas do RN, Aldo Lopes e Demétrio Vieira Diniz, ambos entrevistados pelo experiente jornalista Tácito Costa. A segunda mesa da noite de sábado vai unir dois mundos: “O filho do Holocausto e o filho de Sertânia” Marcelino Freire e Jorger Mautner se encontram novamente após a marcante passagem pela Flip, este mês. Autor de “Contos negreiros”, vencedor do Jabuti que está completando dez anos de publicação, e “Nossos ossos”, que ganhou em 2014 o Prêmio Machado de Assis de melhor romance, Marcelino é um dos maiores autores da literatura contemporânea. Após o debate, seu novo livro “Amar é crime”, coletânea de “contos de amor e morte”, em edição ampliada, pela Editora Record. Jorge Mautner, nome que dispensa apresentações, foi um dos atores na criação do movimento tropicalista na década de 60. Publicou em 2002 a Mitologia do Kaos, antologia em três volumes de sua obra literária – o primeiro compreende a Trilogia do Kaos, composta pelos livros Deus da chuva e da morte (vencedor do prêmio Jabuti de 1963), Kaos (1964) e Narciso em tarde cinza (1966.

 

Compartilhe

Jornalista