Notícia

Morre Hélio Rocha, o carnavalesco da praia da Redinha

“Quando eu morrer não quero choro nem vela……..” Verso de Noel para homenagear o carnavalesco

Hoje estamos mais tristes. Morreu nesta terça-feira, em Natal, o fundador da banda do Siri, bloco carnavalesco mais tradicional da praia da Redinha. Seu Hélio tinha 79 anos e não resistiu as complicações respiratórias

Era um apaixonado pelo carnaval. Com pouco recurso e sem nenhuma pretensão de ganhar dinheiro com a folia, organizava a banda do Siri todos os anos.

Este ano a banda completou 32 anos e lá estava seu Hélio, pronto para receber os foliões na porta de casa, na Redinha velha.

Alegre, gostava de receber os amigos, os amigos dos filhos e transformava a varanda em uma festa. Quando a banda passava, caía no frevo. E assim manteve a tradição do Siri por três décadas.

Valeu seu Hélio! Obrigada por nos ensinar a gostar cada vez mais de carnaval. Descanse em paz. Nosso abraço carinhoso a dona Zulema, as amigas Claudinha e Zelda, a Dalto e a Léo, o neto a quem ele deu muito amor.

Em 2018 surgiu o Siri no Jet, o bloco das prévias carnavalescas
Compartilhe

Jornalista