Preço da carne bouvina dispara e consumidor deve buscar outras opções

Fazia muito tempo que o consumidor não se deparava com um aumento tão expressivo no preço da carne bovina.

A Associação dos supermercados emitiu nota afirmando, que em alguns cortes, o reajuste chegou a 50%.

Hoje foi emitida uma nota justificando a disparada.

Nos últimos meses, foi registrada uma escalada expressiva nos preços do mercado de boi gordo. A alta é justificada, principalmente, pelo aumento na demanda do mercado chinês, que enfrenta um déficit da proteína. Com isso, o Brasil registrou números recordes nas exportações de carne bovina, fato que se refletiu em um expressivo aumento na arroba do boi, ocasionando novas tabelas de preço e afetando, assim, toda a cadeia consumidora, chegando até o cliente final que já sente o impacto originado no campo.

A Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (ASSURN), junto com a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), tem acompanhado atentamente todas as questões que envolvem o abastecimento do mercado interno, que indicam que não há risco para falta de carne bovina ao consumidor brasileiro. Em menos de três meses, o aumento do valor da arroba elevou alguns cortes de bovino, exemplos: o contrafilé a índices acima de 50%, coxão mole 46% no preço de custo dos produtos, que, consequentemente, foram repassados ao preço final aos consumidores.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o atual preço da arroba bateu recorde e chega a ser negociado por R$ 231,00, registrando uma variação de 35,33% no mês de novembro. Nesse valor, são acrescidos o frete e tributos, ultrapassando os R$ 250,00 para os supermercados potiguares, já que 80% da carne vendida no Rio Grande do Norte são provenientes de outros estados.

No RN, o aumento do preço ao consumidor final varia entre 20 e 30% (dependendo do corte). Alguns comércios vêm segurando esse aumento, reduzindo a margem de lucro, mas se o preço da arroba continuar subindo, o repasse ao consumidor será inevitável.

A ASSURN está recomendando seus associados a manter atenção total a logística e manuseio, evitando perdas no processo de transformação e investir esforços em ofertar outras proteínas, como suínos, pescados, ovos e aves como opções à carne bovina. Oferecendo ao consumidor a melhor opção para aquele momento de compra.

Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (ASSURN)