Reajuste dos PMs “quebra o estado”

O movimento dos PMs iniciado hoje no Rio Grande do Norte pode não alcançar o objetivo. O secretário de Planejamento, Aldemir Freire, disse que o pedido de reajuste de 60% , se for implantado, quebra o governo do RN.

A afirmação foi feita durante entrevista do secretário ao Jornal 96, da 96FM. Os PMs.

Nesta segunda-feira, 17, bombeiros e policiais militares iniciam uma paralisação para reivindicar, entre outros pontos, um déficit salarial que chega a 60,48% – de acordo a categoria. Atualmente, de acordo com especialistas, o Estado não tem condições de atender esse reajuste. Por isso, o Governo do RN apresentou outras propostas para evitar a ‘greve’, mas sem sucesso.

A última tentativa de acordo foi uma reunião na sexta-feira, 14,  entre os representantes dos militares e os secretários de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire; e de Administração, Virgínia Ferreira. De acordo com o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos, “tentamos de todas as formas, porém o Governo continua resistindo com a alegação da crise fiscal, mas que só existe para alguns setores”, expõe.